logo
Custom Side Menu
Blog Wine House | Baby Beef | Quanto mais antigo, melhor o vinho?
10860
post-template-default,single,single-post,postid-10860,single-format-standard,mkd-core-1.1,ajax_fade,page_not_loaded,, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,side_menu_slide_with_content,width_370,blog_installed,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive
 

Quanto mais antigo, melhor o vinho?

Você já deve ter ouvido falar nisso, mas será que essa frase popular realmente é verdadeira? Vamos descobrir!

Muitas pessoas ficam com dúvida na hora de escolher qual vinho comprar. Será que os vinhos com mais tempo de guarda são melhores que os vinhos novos? Quanto mais antigo, mais caro é o vinho?

As respostas são mais simples do que parecem. Nem todos os vinhos são feitos para envelhecer. Há diversos fatores a serem considerados na hora de decidir guardá-lo ao longo dos anos.

Para conservá-lo, um vinho precisa ter uma estrutura consistente, ou seja, deve ter uma boa base de taninos, acidez, álcool ou açúcar industrial. Normalmente os vinhos que merecem ser conservados possuem um alto teor de taninos equilibrados com a acidez. Sem esses dois fatores combinados, quando conservado por muito tempo, o vinho perde seu sabor e frescor, ficando “passado”.

 

Tempo X Preço

O tempo não está necessariamente ligado ao preço da garrafa. A definição do preço do vinho envolve diversos fatores que vão desde sua produção até a distribuição.

A maioria dos vinhos produzidos hoje em dia, são feitos para o consumo imediato ou para serem armazenados por poucos anos. Isso não significa que eles sejam de qualidade inferior.

Um bom exemplo é o Rendez Vous Pinot Noir safra de 2015 (hyperlink). Esse vinho de pouco tempo de guarda, produzido na região de Carcassonne na França, oferece excelente qualidade por um ótimo custo benefício. Uma belíssima opção de vinho ácido e frutado para um jantar romântico.

Wine House Babybeef
No Comments

Deixe um comentário